A Casa Livre tem sido nosso "lugar", o que vai para além da sua concretude física. Nossa sede, ela é mais do que um endereço: ali, encontros são provocados, aquecendo as relações interpessoais, e impasses e descobertas estéticas têm abrigo, emanando do trabalho de cada um e cada uma, na somatória das individualidades.

Na Casa Livre, estão o nosso acervo de cenários, equipamentos, livros e figurinos. Ela resguarda e preserva uma parte da história do grupo e, de certo modo, de parceiros artísticos e do movimento de teatro de grupo da cidade de São Paulo.

A sede da Cia. Livre têm sido também o centro motor que faz impulsionar a gira das pesquisas e das peças. Na sala de reuniões, os processos ganham consciência,  fogo e nervos; no tablado de ensaios é que o embate se faz, adquirindo carnalidade e espírito coletivo. Nosso lugar-sede se destaca do espaço-tempo ordinário, porque proporciona uma concentração especial, de energias e desejos.

Suas paredes, no entanto, são porosas, abertas ao entorno e às outras demandas que nascem para além do seu vórtice, na sociedade. Esse espaço não tem valor de propriedade, embora gere bens simbólicos e materiais que, muitas vezes, despertam interesses imobiliários. Na geografia urbana, a nossa sede, como a de outros grupos (em geral, também teatros independentes) exemplificam uma resistência, em termos materiais e imateriais, pois o que se faz ali reflete um outro pensamento sobre o trabalho, sobre a relação entre os sujeitos, sobre a circulação na cidade e a ocupação de seus territórios e sobre as políticas dos espaços

Casa.Livre

Rua Pirineus - Santa Cecília

Casa.Livre 

Rua Conselheiro Brotero - Barra Funda

Em 2006, transformamos um galpão vazio na Barra Funda, à Rua Pirineus número 107, em sede da Cia.Livre. Esse galpão reuniu o acervo de cenografia, figurinos, objetos de cena e o arquivo do grupo, tornando-se nosso espaço de ensaio e criação.

 

Em 2008, através do Programa de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo, o galpão passou por uma reforma. Entre as adaptações que o espaço sofreu para receber o público, estão a construção de uma área na entrada com bilheteria e sala de espera; sistema de segurança com porta corta-fogo; adaptação dos dois banheiros; isolamento acústico e ampliação da carga de energia elétrica para uma iluminação cênica adequada. 

 

Em 2009, inauguramos mais um espaço cultural dedicado ao teatro para a cidade de São Paulo: A Casa Livre. A Casa Livre foi concebida para uma ocupação múltipla, em diversas salas. Seguindo a estrutura arquitetônica, mantivemos dois ambientes paralelos, acessíveis por uma escadaria e um corredor lateral. O espaço principal, um tablado para ensaios e apresentações, oferece estrutura aberta, com várias possibilidades de relação com a platéia. No térreo, um outro ambiente complementa o tablado, numa espécie de labirinto cênico, desdobrável em pequenos espaços diversos.

Cia.Livre 21anos.png
Acervo digital