GABRIEL MÁXIMO

É assistente de direção, músico, dramaturgo e professor de teatro.

Foi assistente de direção do espetáculo “Os Um e os Outros”, uma livre adaptação de Horácios e Curiácios, de Bertolt Brecht, dirigido por Cibele Forjaz, em uma parceria da Cia. Livre com a Cia. Oito Nova Dança. Neste mesmo espetáculo atuou como músico e sonoplasta em cena, tocando teclados e guitarra. Foi igualmente assistente de direção da diretora Cibele Forjaz na mundana companhia no projeto de pesquisa e encenação do espetáculo “Na selva das cidades - Em Obras” (2014 - 2018), de Bertolt Brecht. Com a mundana companhia foi também um dos curadores e organizadores do livro “Imersão Selva”, publicado em 2016.

Trabalhou como educador no Colégio Equipe, entre os anos de 2017 e 2019, durante os quais foi professor de teatro do ensino fundamental II e concebeu e coordenou o projeto Ver o Mundo, este que realiza oficinas de teatro documentário com alunos do ensino médio e imigrantes.

Em 2018 se formou em Licenciatura em Artes Cênicas na Universidade de São Paulo (USP), com Trabalho de Conclusão de Curso sobre a prática de teatro documentário nas escolas com alunos e imigrantes.

Em 2014 concluiu a pesquisa de Iniciação Científica intitulada “Texto e musicalidade na encenação do Teatro Oficina: estudo de caso” sob orientação do Prof. Dr. Marcos Aurélio Bulhões Martins. No mesmo ano de 2014 integrou o Núcleo de Dramaturgia do SESI-British Council. Em 2015 teve sua segunda peça, “Omofagia”, publicada pela Editora SESI-SP.

Em 2011, formou-se pelo Curso Técnico de Formação em Ator da Escola de Teatro e Dança da Universidade Federal do Pará (ETDUFPA). Neste mesmo ano, concebeu o projeto Teatro para Todos que foi contemplado com o prêmio PROEX de Arte e Cultura da UFPA. Para este projeto, realizou tradução a partir do original francês das obras inéditas em português “Fragments de Théâtre I et II”, do dramaturgo Samuel Beckett e foi ator na subsequente montagem destas peças.

Cia.Livre 21anos.png
Acervo digital