PARCERIAS CRIATIVAS

BRUTA-FLOR

 
Sinopse/Realese

 

De como me tornei bruta flor é a historia de um coração em busca de entender seu frenético percurso em relação ao outro. Como guerreira frente a um campo de batalha,  uma mulher e sua sombra se desdobram,  armas do coração em punho, para enfrentar  todos os fantasmas do passado na tentativa de recuperar a própria  essência e a vontade de viver. 

Bruta Flor é uma história de amor e abandono. Um poema de ações dramáticas no qual duas atrizes, num jogo revezamento, vivenciam a jornada de uma mulher que desce aos infernos em busca de si mesma. Bruta Flor é um aprendizado de amor próprio. 

Fotos
Ficha técnica original 

BRUTA-FLOR

Atrizes-jogadoras

Lucienne Guedes, Mariana  Senne e Cris Lozzano

 

Operação de luz & som

Maria Druck/ Luana Gouveia/Pilar

Coreografia e preparação corporal

Lu Favoreto

Preparação vocal

Andrea Drigo

 

Foto

Cacá Bernardes

Programação visual

Fernando Sato – Casa da Lapa

Trilha Sonora

Eugenio Lima e Andrea Drigo

Vídeo

Tatiana Lohmann

Luz

Alessandra Domingues e Cibele Forjaz

Figurino

Claudia Schapira

Direção de Arte

Simone Mina

Assistente de direção

Luaa Gabanini

Produção

Eneida de Souza

Dramaturgia

Claudia Schapira

Direção

Cibele Forjaz

Bruta Flor é um encontro amoroso entre companhias:  Cia. Livre; Cia. Oito Nova dança; Cia. São Jorge de variedades e Núcleo Bartolomeu de Depoimentos.

 
Cia.Livre 21anos.png
Acervo digital